X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

O Ventilador Pirâmide de Tijolos

['O Ventilador Pirâmide de Tijolos]

Os ventiladores como eram chamados pelos antigos funcionários da Sanepar que trabalharam nos sistemas de captação dos Mananciais da Serra, eram estruturas arquitetônicas construídas ao logo das adutoras, para permitir a saída do ar das tubulações, o que impediria o rompimento dos canos pela pressão da água.

 

Esta estrutura arquitetônica que lembra uma pirâmide foi descoberta graças a importante informação fornecida pelo Sr. José Castro Barros – Seu Zezo antigo funcionário da Sanepar, que trabalhou nos Mananciais.

 

Em conversa, Seu Zezo me confidenciou que nas proximidades do ventilador destruído que encontrei perto da Caixa do Mico, haveria mais um ventilador, que eu ainda não havia descoberto.

 

Com base nessa “dica”, no dia 23 de Junho de 2014 retornei até a Caixa do Mico, seguindo pela linha da adutora a partir do rio do Mico, na direção para as sangas dos Lacrimais. Passados 6 anos desse evento, já não recordo se o acesso até a Caixa do Mico foi realizado pela trilha do KM 2 ou através da linha da adutora via Caixa da Carambolas.

 

Após passar pelo ventilador destruído na linha da adutora após a Caixa do Mico, fato já relatado na estória da descoberta desta represa, encontrei uma área que lembrava uma trilha na mata, denotando ser o caminho por onde a adutora estava assentada.

 

Caminhando alguns metros por essa “trilha” encontrei o ventilador indicado pelo Seu Zezo. Novamente o espanto tomou conta de mim: uma estrutura coberta por musgos e trepadeiras, que lembrava a forma de uma pirâmide.

 

Com cuidado fiz a remoção das folhagens e cipós, descobrindo que a construção era de tijolos. Fiz a primeira foto às 15hs14min do dia 23.

 

A construção possuía tubulações de entrada da água (do sentido do túnel do Lacrimal) e de saída (no sentido para o Reservatório do Carvalho), com um terceiro cano de menor bitola, que deveria ser utilizado no esgotamento do ventilador, para limpeza do interior. Na parte superior ainda é possível observar um recorte na alvenaria para permitir a saída da água (semelhante a um escoadouro de represa).

 

Nos documentos antigos não encontrei registros da existência dessa estrutura, mas foi erigida nas proximidades da saída do túnel do Lacrimal.

 

Motivado pela inusitada descoberta, no dia seguinte retornei ao local para fazer novas fotos, descobrindo uma adutora de cerâmica ao lado da adutora de ferro fundido. Deve ter sido abandonada em algum momento do passado.

 

Localização: S 25°29'16'' - W 48°58'35''