X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

Os Túneis dos Mananciais da Serra

['Os Túneis dos Mananciais da Serra]

Parece estranho que em um sistema de captação de águas tenhamos túneis. Mas nos Mananciais da Serra em Piraquara, temos sim.

Os túneis serviram para que a linha da adutora que fazia a captação das represas, pudesse transpor as elevações do terreno, permitindo a declividade necessária para que a água chegasse ao reservatório de acumulação.

 

1) Túnel do Carvalho

Desde a década de 80, quando fiz visitas aos mananciais com meus filhos e esposa, a localização do Túnel do Carvalho já era conhecida.

A primeira foto digital que tenho dessa estrutura é datada de 01 de Junho de 2006, tirada as 11hs13min.

Embora não tenha encontrado descrições a respeito da construção do túnel, é possível deduzir que foi escavado para passagem da linha adutora que trazia a água das represas até o reservatório de acumulação ou Reservatório do Carvalho. Inclusive no ventilador do reservatório é possível ver uma tubulação entrando no ventilador, a partir da direção do túnel.

A adutora passando pelo túnel do carvalho foi abandonada na década de 80, com uma tubulação de ferro fundido sendo instalada contornando o morro do túnel e chegando até o ventilador. Encontrei essa linha “alterada” após o Rio do Carvalho, no sentido para o reservatório.

Essa “nova” linha passa ainda na frente da estrutura abandonada do antigo local de cloração da água e sobe em direção ao reservatório de acumulação, no inicio da Estrada do Ipiranga.

Este túnel tem 40 metros de extensão.

 

2) Túnel do Braço do Carvalho

Novamente tenho que citar o Sr. José Rocha de Barros, Seu Zezinho (já falecido).

Pois foi o Seu Zezinho que me passou a primeira dica da existência de outro túnel, neste caso, a jusante da Caixa do Braço do Carvalho ou Piscina.

Lembro de suas palavras: ...”abaixo da caixa, siga a adutora principal, na margem direita do Rio do Carvalho. Tem outro túnel lá...” Também me falou que era possível entrar no túnel.

Com essa informação, no dia 06 de Agosto de 2012, encontrei o túnel, pelo menos o local de saída da tubulação da adutora, que trazia a água captada nas represas acima do reservatório de acumulação. A primeira foto foi tirada as 15hs42min do dia 6.

Quanto a entrar no túnel não tive coragem, pois foi necessário me agachar para fazer as fotos. No passado talvez fosse possível andar pelo túnel, mas atualmente não. Fora o risco de cobras e outros animais que poderiam estar utilizando o local como “toca”.

A parte oposta do túnel ou a entrada, só foi descoberta no dia 18 de Novembro de 2014, numa incursão que fiz pela adutora principal, a partir da Caixa Carambolas, no sentido para a Caixa do Braço do Carvalho. A primeira foto do local foi feita as 14hs20min.

Retornei a entrada do túnel uma semana depois. Nesse pequeno intervalo de tempo, uma grande arvore havia caído na entrada do túnel, quase impedindo de fazer novas fotos.

A construção do túnel deve ter se dado face irregularidade do terreno por onde a adutora principal foi instalada, no inicio do século 20. A extensão desse túnel foi calculada com GPS, medindo aproximadamente 113 metros.

Localização da Saída:   S 25°29’35  W 48°58’43

 

3) Túnel do Iporan

Essa descoberta foi realizada no dia 01 de Setembro de 2015. Está localizado entre as caixas da Polenta e do Iporan.

A vegetação daquela parte da serra é mais rasteira ou de meia altura, sendo composta na maior parte por pequenas e cortantes taquaras, que dificultavam sobremaneira a caminhada pela linha da adutora.

Naquele ano ocorreu uma seca na vegetação e por conseqüência também nas taquaras, deixando mais exposta a linha da adutora. Esse foi o incentivo para que eu percorresse toda a linha da tubulação, desde o Ipiranga até o Reservatório do Carvalho.

Então no dia em que estava percorrendo esse trecho, encontrei um pequeno túnel. Também neste caso, o relevo topográfico foi o motivo para a transposição da pequena elevação através do túnel, para a instalação dos canos.

A foto do túnel foi tirada às 12hs do citado dia.

Localização da Entrada: S 25°28’40  W 48°58’04

Localização da Saída:     S 25°28’40  W 48°58’05.

 

4) Túnel do Cloro

A localização desta última descoberta de túneis ocorreu no ano de 2016. Estava caminhando pela Estrada do Ipiranga, no sentido do Reservatório do Carvalho para a Caixa do Braço do Carvalho.

Após passar pela estrutura abandonada do antigo local da cloragem, encontrei vestígios de uma nova trilha. Acessei o local, imaginando ser um caminho aberto por caçadores que poderiam estar utilizando um novo caminho para caçar animais silvestres.

Para dentro da mata, acabei encontrando uma vala, que indicava que no passado a linha da adutora havia sido assentada naquele local.

O túnel tem a altura interna semelhante a do Túnel do Carvalho. Na falta de um nome mais apropriado acabei nomeando a descoberta como Túnel do Cloro, face à proximidade com a unidade antiga da cloragem.

Nas paredes laterais da estrutura ainda é possível ver as marcas de ferramentas usadas para cavar o túnel.

A primeira foto foi feita as 12hs05min do dia 16 de Setembro de 2016. Foi uma grande surpresa encontrar este túnel tão perto da estrada e nas proximidades do reservatório e ainda com uma parte intacta.

Caminhando pela vala no sentido da Caixa Braço do Carvalho, encontrei outros dois possíveis locais que no passado eram túneis, mas que devido a desmoronamentos só restam duas valas de profundidade mais acentuada.

O mais relevante nesta estória é imaginar ter encontrado uma estrutura que foi cavada há mais de 100 anos, e que estava esperando ser descoberta e registrada na minha pesquisa sobre os mananciais.

A parte do túnel que está intacta tem 30 metros.

Localização da Entrada: S 25°29’40  W 48°58’80

Localização da Saída:     S 25°28’39  W 48°57’96.